sábado, 3 de dezembro de 2011

Enquanto muitos usam palavras pra demonstrar dor e sentimentos, eu uso meu silêncio. Isso basta.
Nos momentos de intimidade com Deus aprendi o que mais eu tinha dificuldade: obedecer.
É no silêncio que Ele fala, é na calmaria do meu coração que Ele age. Enquanto eu não oferecer espaço para Ele ocupar, angustia nenhuma vai ser amenizada. Preciso me esvaziar de mim e me completar do amor dEle, somente o dEles, pois é o único e verdadeiro e que tem a coragem de vencer o medo, assumir e cuidar realmente de quem ama...
Abrace quem te faz bem, pois o amanhã já pode ser tarde demais!!!!

sábado, 19 de novembro de 2011

aprendi...

Aprendi....que ninguém é perfeito enquanto não te apaixonas.
Aprendi....que a vida é dura mas eu sou mais que ela!!
Aprendi que...as oportunidades nunca se perdem e aquelas que desperdiças... alguém as aproveita.
Aprendi que...quando te importas com rancores e amarguras a felicidade vai para outra parte.
Aprendi que... devemos sempre dar palavras boas...
porque amanhã nunca se sabe as que temos que ouvir.
Aprendi que...um sorriso é uma maneira econômica de melhorar teu aspecto.
Aprendi que... não posso escolher como me sinto...
mas posso sempre fazer alguma coisa.
Aprendi que...quando o teu filho recém-nascido segura o teu dedo na sua mão têm-te preso para toda a vida
Aprendi que...todos querem viver no cimo da montanha...mas toda a felicidade está durante a subida.
Aprendi que... temos que gozar da viagem e não apenas pensar na chegada.

Aprendi que...o melhor é dar conselhos só em duas circunstancias...quando são pedidos e quando deles depende a vida.

Aprendi que...quanto menos tempo se desperdiça...mais coisas posso fazer.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Por que o ato de bocejar é contagiante?


Certamente você já observou ou até mesmo já foi contagiado por este fenômeno, basta uma pessoa bocejar na sua frente que geralmente uma vontade incontrolável emerge e nos faz bocejar também.


Brincadeira a parte, bocejar é um tipo de comportamento presente na espécie humana e não só nela. Estudos realizados com chimpanzés mostraram que os mesmos não conseguiram resistir ao impulso quando foram expostos a imagens animadas de outros chimpanzés bocejando. Existem também estudos mostrando que cães também bocejam. Provavelmente a origem do bocejo é rudimentar e está atrelada a história filogenética de diversas espécies.


O bocejo é uma resposta reflexa, assim como, o contrair da pupila, o reflexo patelar, o chorar quando se corta cebola, o sugar do bebê e etc. Trocando em miúdos, trata-se de respostas emitidas pelo organismo eliciadas por estímulos específicos. No caso do bocejar sabe-se que provavelmente o que gera a resposta é a baixa concentração de oxigênio no cérebro, fazendo assim o organismo se manter no estado de vigília levando o sono para longe.


Mas ainda não foi dito: por que ao ver outro bocejar, nós bocejamos ?


Neste caso, o que difere do bocejar sem ver alguém bocejando é o estímulo desencadeante, o bocejar alheio é um estímulo externo que desencadeia o nosso bocejar. A sensibilidade ao bocejar alheio provavelmente é inata, ou seja, ela é transmitida por nossos ancestrais através de uma carga genética, igual a todos os outros nossos comportamentos reflexos.


Estes tipos de comportamentos foram selecionados pelo ambiente ao longo da evolução da espécie (podemos depois discutir o porquê este comportamento foi, outrora, importante para as espécies) a fim de garantir a sobrevivência da mesma, um comportamento reflexo inato ou simplesmente um reflexo inato, como já foi dito, é uma relação entre um estímulo e uma resposta que não depende de condicionamento prévio e, por isso, bocejamos ao ver outra pessoa bocejar.


Porém, muitos estudos mostram que nem todos os indivíduos apresentam essa sensibilidade ao bocejar alheio, nestes casos, podem existir duas explicações cabíveis: insensibilidade ao estímulo ou aprendizagem.


A insensibilidade ao estímulo ocorre, pois o organismo pode não ter recebido essa sensibilidade através de seu gene devido a diversas mutações que o mesmo sofreu durante a história filogenética de sua família (filogêneses) e não podendo ser transmitido dos pais para sua prole.


Na segunda ocasião, o organismo pode ter nascido sensível ao estímulo, porém pode ter perdido a sensibilidade através de processos de aprendizagem durante sua história de vida (ontogêneses). O bocejar como reação ao bocejar alheio é, a princípio, um comportamento reflexo, mas pode deixar de ser através de suas experiências de vida.

PS: Provavelmente você bocejou várias vezes enquanto lia este texto!!!!!  kkkkkkk




































quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Ei, dor!

Você não me leva a nada
Ei, medo!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Vendedor de Caranguejos.

Havia um homem na praia que vendia caranguejos.



Tinha os baldes cheios de animais vivos: um estava coberto com uma rede e o outro estava tapado.


Uma mulher perguntou-lhe:


- “Por que razão tapou um dos baldes e o outro não?”.


Ao que o vendedor respondeu:


- “Porque vendo dois tipos de caranguejos: – japoneses e argentinos.


O caranguejo japonês tenta sempre sair do balde, mas quando não o consegue, os restantes fazem uma corrente, apoiam-se uns nos outros e assim todos conseguem sair, por isso tenho de os tapar.


Os caranguejos argentinos também tentam sair, mas sempre que um deles tenta saltar, os outros por baixo dele agarram-no, e assim, nenhum escapa."










Essa simples mensagem serve para pensarmos em como podemos ser bons uns com os outros. E sempre que possível devemos ajudar ao próximo.


Assim se faz um verdadeiro grupo. Quando um precisa de ajuda, todos ajudamos e no final, todos serão beneficiados.

sábado, 8 de outubro de 2011

Ubuntu

Um antropólogo estava estudando os usos e costumes da tribo e, quando terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta pra casa. Sobrava muito tempo, mas ele não queria catequizar os membros da tribo; então, propôs uma brincadeira pras crianças, que achou ser inofensiva.

Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, botou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e tudo e colocou debaixo de uma árvore. Aí ele chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse "já!", elas deveriam sair correndo até o cesto, e a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro.

As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse "Já!", instantaneamente todas as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.

O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou porque elas tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces.

Elas simplesmente responderam: "Ubuntu, tio. Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?"

Ele ficou desconcertado! Meses e meses trabalhando nisso, estudando a tribo, e ainda não havia compreendido, de verdade,a essência daquele povo. Ou jamais teria proposto uma competição, certo?

Ubuntu significa: "Sou quem sou, porque somos todos nós!"

Atente para o detalhe: porque SOMOS, não pelo que temos...

Uma pessoa com ubuntu está aberta e disponível aos outros, não-preocupada em julgar os outros como bons ou maus, e tem consciência de que faz parte de algo maior e que é tão diminuída quanto seus semelhantes que são diminuídos ou humilhados, torturados ou oprimidos
















domingo, 2 de outubro de 2011

...apontamentos...

A solidão por vezes chega para colocarmos muita coisa em ordem, ou, pelo menos, refletir como colocar ordem em algumas coisas...
Quando estamos com a cabeça "vazia" tudo volta como filme, o que já se fez, o que não fez, o que deveria ser feito e não fez, o que deveria ser dito e não foi dito, o que deveria ter pedido perdão... não pedi... mas perdi...
O telefone nesses momentos em minha frente é um perigo, as atitudes impensadas geralmente vão ter repercussão, no mais brando, trágicas!
Bem, mas aqui não deveria estar falando de tristezas, mas é o que vem em meu coração... pessoas chegam, pessoas se vão, e o que fica??? Até hoje procuro resposta... vem ensinamento, amadurecimento, mas junto a isso também caminha o medo da decepção, que por vezes paralisa ao tentar recomeçar uma nova história...
Final de Semana tão melancólico, apegada aos livros, vontade só de dormir... mas tenho que me levantar, como sempre me levantei e como sempre Deus irá me levantar... para recomeçar...

Tentei planejar, mas nada, nada, sai do propósito de Deus para a minha vida, este é o meu conforto... Sei que Ele guarda o melhor para mim, mas tudo é no tempo dEle, não no meu... até as tranformações, que acredito, serem possíveis!

domingo, 11 de setembro de 2011

Eu acredito!

"Não temais, nem vos assuteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus"

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Vasos de barro.

" A palavra do Senhor, que veio  a Jeremias, dizendo: Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras. E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas. Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.
Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel".

O poder de transformação na minha vida, nas minhas escolhas, nas minhas prioridades... tudo vem do Senhor, esse renovar que só pode ser sentido atraves do viver nEle, me tocou de forma inexplicavel neste ultimo final de semana.

Foram dias programados por mim para servir, mas que na realidade quem foi servida fui eu. Servida e renovada no amor de Deus, transformada pelo amor dEle!!!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Ampulheta

"Minha vida pode ser definida como uma ampulheta - quando eu achei que tudo estava se direcionando para o fim, Deus virou minha vida de cabeça para cima e eis que toda uma vida nova se apresentou diante de mim"

Vi esta frase de um amigo, e eis que consegui descrever exatamente os sentimentos da invasão de Deus em minha vida...

É um renovar, é um vestir-se com uma nova roupagem. A vida velha já não mais pertence ao meu corpo, não que eu a tenha esquecido, mas me mostrou em que e onde devo trabalhar para modificar sentimentos que não são dignos de serem nutridos!

...

Não sei... Se a vida é curta ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

domingo, 21 de agosto de 2011

É de doer o coração a sensação de tempo perdido, de entrega sem valor, de envolvimento sem retorno!
Por mais que eu diga que tudo vai ser diferente, eu não consigo...
Quando passo a pensar só em mim, no meu próprio umbigo, as coisas não dão certo, mas porque? Porque eu coloco as minhas prioridades no lugar das prioridades de Deus, coloco o meu eu no lugar do dEle... o resultado??? Acabo trocando os pés pelas mãos!!!
A vida está renovada, o coração está cicatrizado, mas ainda temo não ser coerente com as minhas atitudes. É certo que a boca fala do que está cheio o coração, eis o meu medo, a minha aflição é esse coração manhoso, frouxo, que nem sempre me ouve...
O coração do homem pode lhe desviar, pode fazer com que você acredite que a "aparencia" é uma realidade, quando a essencia, ao fundo, lhe mostra outra coisa... sei que o pior cego é aquele que não quer ver e eu por muito tempo fiquei sem querer ver nada, mas Deus não faz nada por acaso e a busca do descanço nos propósitos dEle é o que tem me acalmado mais, apesar de tudo e de todos...
Dê uma oportunidade, oportunidade e oportunidade... oportunidade... por mais que no momento pareça ilógico, o que precisamos para nos renovar é dar oportunidade para Cristo agir, tem sido dificil, mas não mais do que ja me fizeram passar...
A fase dos questinamentos passou, estou agora aguardando a resposta... o tempo é o dEle!!!!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Indagações!

       "Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades. Para viver a dois, antes, é necessário ser um."

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Pequenos gestos..

Incrivel como uma troca de pneu furado, na realidade 2 trocas em 2 semanas, me fez parar e refletir: tem coisas que por mais que eu queira mudar, trocar, fazer diferente, nem sempre o comando está em minhas mãos. Nas duas tentativas de troca de pneu, tive que buscar ajuda com outra pessoa, digamos, outros homens. Percebi que eu não sabia nem mesmo abrir o macaco para levantar o carro, descobri que eu teria, antes de tudo, liberar um pouco os parafusos da roda para depois então levantar o carro com o macaco... algo que eles fazem tão rápido, eu demoraria muito tempo, isso se eu um dia conseguisse... 
Aprendi que muitas coisas dependem da comunhão, e, se você não compartilhar, estará perdendo uma grande chance de se relacionar mais a fundo com o próximo. Mas como assim, por causa de um pneu???? Pois é...

São nas coisas simples da vida que descobrimos o valor de cada momento. Cada pessoa que me ajudou nesta "simples" tarefa de trocar o pneu, provavelmente encararia a situação como "mais uma", só que eles não tem noção da importancia que foi para mim.

Temos que valorizar a particularidade de cada momento com os olhos da humildade e perceber que a beleza das coisas não está em sua complexidade, mas sim na simplicidade de trazer prazer e alegria a quem está ao seu redor. Não é necessário grandes estripulias, pequenos gestos conquistam momentos que podem se eternizar no coração do outro.

Tão simples como a troca de um pneu para o outro, tão complexo para mim a mesma atitude seria, tudo dependendo do referencial de quem esta falando. Assim é nossa vida, minimizamos os sentimentos e as opiniões do próximo usando apenas o nosso referencial na construção do conhecimento, e poucas vezes, ou nenhuma, nos colocamos no lugar do outro para ver realmente o que aquela situação representa para ela...

Podemos até machucar alguem por não dar importância as coisas "simples" que ela gosta... mas certamente dividiremos momentos felizes se formos capazes de transformar essa simplicidade em algo único e essencialmente marcante!!!!

Surpreenda, principalmente nas "pequenas" coisas...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Quer se relacionar bem? No mínimo…


se não consegue extinguir, pelo menos diminua sua expectativa em relação aos outros. Amar, pressupõe aceitar a pessoa como ela é;
tem algo para resolver, resolva. Não guarde, não espere o outro falar, tome a iniciativa, abra o diálogo. Não espere que o outro perceba ou interprete o que você sente. Procure e fale;
...ouça com atenção, inclusão e silêncio. Inclua o outro através de uma “escutatória” que acolha de fato o que se está dizendo. Quem só sabe falar, não está preparado para se relacionar;
seja pródigo(a) em elogios e econômico(a)em críticas. A legitimidade para criticar vem de uma caminhada de presença e reconhecimento. E ninguém aguenta um crítico de plantão;
aprenda com as dificuldades e defeitos, mas minimize o impacto disso, enquanto forem menores do que as virtudes. E são menores. Não deixe de aprender com sua própria dificuldade e a do outro, mas minimize;
saiba que toda situação é transitória, tanto as boas, quanto as ruins. Sua decisão de como vai passar por ela determinará seu sucesso ou insucesso, independente da circunstância. E a busca pelo “sucesso interior” é sempre a melhor decisão. “Não importa o que a vida fez com você, mas o que você faz com o que a vida fez com você”;
não lamente o passado. Aprenda, mas não faça dele um fantasma que imobiliza e assombra sua relação presente ou o presente de tua relação;
não esconda coisas profundas de pessoas com as quais quer estabelecer relacionamentos profundos. O diabo domina as sombras, mas Jesus é o Senhor da luz. Traga as coisas para a luz, confesse, elucide, conte. Elimine a possibilidade do outro “descobrir” algo sem ser por você mesmo(a);
considere que o futuro do pretérito e o pretérito do subjuntivo não existem e, quando os inserimos em nossas vidas, vivemos lamentado o que “poderia ter sido”. Se poderia, não foi. Se poderia, não pode mais… Afirmações como “se você tivesse”, “se você fizesse” fazem muito mal. “Se” não existe;
emancipe o outro. Que o outro seja uma pessoa melhor por estar com você, do que seria se não se relacionasse contigo. Quer ser uma pessoa melhor, faça do outro um “outro” melhor;
nunca se familiarize com detalhes que, apesar de detalhes, são importantes. Fale sempre: “por favor” e “obrigado”; Bastante: elogios e expressões de carinho; De vez em quando: escreva uma carta pessoal;
seja cordial e educado(a) com todos. Trate gente como gente deve ser tratada. Qual o nome do porteiro do seu prédio, de seu vizinho, do garçom que sempre te atende? Certamente o nome de seu chefe você sabe né?! Pergunte o nome, olhe nos olhos, aperte a mão com firmeza e singeleza.

 FabricioCunha

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Indagações?!

Ouvi falar que cada um tem uma linguagem, uma linguagem de amor, estou a procura da minha... linguagem, para quê? Seria a falada? Não, os animais irracionais não possuem linguagem fonética, mas mesmo assim, eles não deixam de se expressarem - Minha cachorrinha Lyly por exemplo, se expressa de uma forma tão singular que percebemos as vezes o que ela quer transmitir - Um olhar fala tanta coisa, um abraço consegue transbordar tanto amor, uma palavra, um ombro para se encostar, uma cartinha, um pedaço de papel com "tenho sentido a sua falta", um aperto de mão, um como vai?, um beijos... o ser humano e sua complexidade de se relacionar com o próximo. Deus em sua infinita sabedoria nos fez para habitar em comunhão, viver juntos, compartilhar alegria, dividir tristezas...
O valor de uma amizade começamos a perceber quando passamos a viver momentos de tribulações, a vida quando começa a querer ficar de cabeça para baixo, surge tanto carinho, transborda tanto amor, que a imensidão do sentimento não cabe em um só coração, por isso aprendi a compartilhar, até esses sentimentos bons de se sentir no coração...
Reviver com pessoas que lhe marcaram a vida é muito gostoso, é descobrir, é se encontrar em um momento presente e perceber que o amor ainda permanece vivo... mesmo tendo sido construído há tempos, há anos, que até perdi a conta, mas a preciosidade do valor não se desgastou com o tempo, é muito linda essa minha descoberta! É perceber que por trás de tudo, ainda consigo extrair coisas boas...

Não há nada que lhe pague um amor correspondido, um amor verdadeiro, um amor que consegue ultrapassar além das dificuldades, as diferenças, consegue superar o tempo... tempo esse que persiste em nos desgastar...

Uma amizade verdadeira, nada, nem o tempo desgasta, assim como o amor... a tudo supera, se for o propósito de Deus...

sexta-feira, 15 de julho de 2011

BILHETE




Se tu me amas,
ama-me baixinho.

Não o grites de cima dos telhados,
deixa em paz os passarinhos.

Deixa em paz a mim!

Se me queres,
enfim,

      tem de ser bem devagarinho,
      amada,

     que a vida é breve,
     e o amor
     mais breve ainda.

Mario Quintana

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Mando aqui alguns twitter da minha conta, em algumas horas você confirma o caos na segurança publica que Recife está passando. Chegamos ao cúmulo de ter que fazer a bolsa do ladrão e deixar no carro ja a espera de ser assaltadas e entregar a " bolsa do ladrão" ja preparada e montada previamente. Se choveu, se engarrafou, está em um viaduto? em uma lombada eletrônica? aguarde, o pior pode acontecer com você. Fico aqui em estado de terror, não daqueles filmes de terror (que tanto gosto de assistir) que passam em nossa televisão, já que sei que alí é tudo ficção, fico aqui em estado de TERROR REAL, os assaltos são reais, os revolveres são reais, a violência, a sensação de impunidade, a banalidade da violência por pura violência, tudo isso é real. O meu psicologico abalado tambem tenho sentido ser muito real em meio a toda essa realidade...

A mim, me resta orar muito ao meu Deus para a minha proteção a cada dia que saio de casa, quer seja ao voltar da UFPE e passar pelo viaduto Tancredo Neves ou ir ao centro da cidade e passar pelo Viaduto de Joana Bezerra. Não, essa realidade não é exclusiva do bairro que moro, essa situação toma conta da cidade. Recife, a nossa Veneza Brasileira, tem ficado em minha memória como uma área de eterno conflito e combate em que apenas um lado tem como atacar (o assaltante) e me resta apenas o direito de entregar a bolsa, celular e dinheiro, ou então se você ja tiver sido preparada para tal situação, entregar a "bolsa do ladrão" ja montada para esse tipo de situação.

Reagir e tentar vencer o bandido com uma arma na sua cabeça é ilusão, neste ponto somos mais fracos. Nossa vida vale muito mais do que uma bolsa repleta de documentos, anotações, maquiagens, dinheiros etc etc etc tudo isso recuperamos com o tempo...

Não quero me acostumar e nunca vou com essa situação.

Fico aqui com a mesma incerteza de quando comecei o texto... vou sair de casa, será que vou voltar do mesmo jeito?????

Meu Cristo Jesus tem me dado um sentido na minha existência, é neste porto seguro que entrego a minha vida a cada amanhecer...

Minha Lylyzinha...

Se um cão fosse seu professor... Você aprenderia coisas assim:
Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro.
Nunca perca uma oportunidade de ir passear de carro.
Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto.

Mostre aos outros que estão invadindo o seu território.
Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar.

Corra, pule e brinque todos os dias.

Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem.
Não morda quando um simples rosnado resolve a situação.
Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore.
Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo.
Não importa quantas vezes o outro te magoa, não se sinta culpado... volte e faça as pazes novamente.

Aproveite o prazer de uma longa caminhada. Se alimente com gosto e entusiasmo.
Coma só o suficiente.
Seja leal.
Nunca pretenda ser o que você não é.
Se você quer se deitar embaixo da terra, cave fundo até conseguir.
E o mais importante de tudo... Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio, fique por perto e mostre que você está ali para confortar. A amizade verdadeira não aceita imitações!



quarta-feira, 18 de maio de 2011

Auto-superação!!!

Você já se sentiu, alguma vez, a pessoa mais incapaz da face da terra?
É até possível que tenha acontecido por mais de uma vez, não é mesmo?
E por que será que isso acontece?
Vamos refletir um pouco sobre essa questão.
Considere, em primeiro lugar, que você é uma pessoa única, não existe ninguém no universo igual a você.
Você tem uma soma de experiências só suas. Tem sentimentos únicos e tem limites que são só seus.
Então, é provável que ao tentar superar outra pessoa, tenha a sensação de que não é capaz e se frustre.
Se uma pessoa muito ligada a você, por exemplo, inicia um curso qualquer, e você não tem o mínimo talento para essa atividade,sente-se inferior.
Se um amigo começa um regime para emagrecer, e você está se sentindo um pouco acima do peso, faz o mesmo regime e não perde uma única grama, sente-se a pessoa mais infeliz.
Se, na academia que freqüenta, as pessoas ao seu redor fazem proezas enquanto você apenas faz tentativas vãs, a vontade de desistir é quase inevitável.
Essas, entre tantas outras situações, podem ocasionar desestímulo e sensação de fracasso.
No entanto, ao admitir que você é um ser único, e não há no universo ninguém igual a você, todas as frustrações desaparecem.
Você, ao invés de olhar ao redor, tentando superar os outros, buscará conhecer suas próprias possibilidades, talentos e limitações, e buscará superar a si mesmo.
E então, cada conquista, ainda que mínima, será uma vitória real.Considere que você, e somente você, deve servir de parâmetro quando se trata de conquistas próprias.
As conquistas dos outros são dos outros, e todos tiveram ou têm limitações a superar ou talentos conquistados com os próprios esforços.
Não há dúvida que podemos almejar determinadas conquistas que outros já possuem, mas não devemos querer tê-las prontas.
Cada esforço deve ser envidado com lucidez, pela auto-superação, e não pela superação dos outros.
Sempre existe algo que você faz melhor que os outros e algo que osoutros fazem melhor que você, e isto não é motivo para desanimar.
A verdadeira grandeza está justamente em reconhecer essa realidade e aceitá-la com maturidade.
Embora haja um forte apelo social para que acreditemos que somos uma massa uniforme, que devemos seguir determinados padrões, nós continuamos a ser indivíduos únicos.

 Reflita sobre essas questões e tenha uma conversa consigo mesmo.
Analise-se com carinho e atenção, para conhecer seus limites e tente superá-los, sem neuroses.
Conheça seus talentos e reforce-os, sem pretensões descabidas.
Busque a auto-superação e não a superação dos outros.
Cresça de forma efetiva, para ser a cada dia melhor que no dia anterior. Melhor que você mesmo, e não melhor que os outros.
Não há clones de você e tampouco você é clone de alguém, por mais que se pareça fisicamente com outra pessoa.
Nem mesmo irmãos gêmeos estão nivelados nas experiências. Cada um tem seus limites e potencialidades singulares.

Pense nisso!

Autor desconhecido.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Como se fosse eu...

Recebi esta mensagem no meu e-mail e me tocou de uma forma muito especial. Este texto em poucas linhas conseguiu me explicar muito do que vinha acontecendo comigo. Foi um desabafo que saiu por outra mente, mas que se adapta perfeitamente na minha história de viver...

O que eu tenho não me pertence, embora faça parte de mim.
Tudo o que sou me foi um dia emprestado pelo Criador, para que eu possa dividir com aqueles que entram na minha vida.
Ninguém cruza nosso caminho por acaso e nós não entramos na vida de alguém sem nenhuma razão.
Há muito o que dar e o que receber;há muito o que aprender, com experiências boas ou negativas.
É isso...tente ver as coisas negativas que acontecem com você como algo que acontece por uma razão precisa.
E não se lamente pelo ocorrido, além de não servir de nada reclamar, isso vai lhe vendar os olhos para continuar seu caminho.
Quando não conseguimos tirar da cabeça que alguém nos feriu, estamos somente reavivando a ferida, tornando-a muitas vezes bem maior do que era no início.
Nem sempre as pessoas nos ferem voluntariamente.
Muitas vezes somos nós que nos sentimos feridos e a pessoa nem mesmo percebeu;e nos sentimos decepcionados porque aquela pessoa não correspondeu às nossas expectativas.

Às nossas expectativas!!!

E sabemos lá quais eram as suas expectativas?

Nós tanto nos decepcionamos quanto decepcionamos os outros.
Mas, claro, é bem mais fácil pensar nas coisas que nos atingem.
Quando alguém lhe disser que o magoou sem intenção, acredite nela!
Vai lhe fazer bem , Assim, talvez ela poderá entender quando você, sinceramente, disser que “foi sem querer.”
Dê de você mesmo o quanto puder!
Sabe, quando você se for, a única coisa que vai deixar é a lembrança do que fez aqui.
Seja bom, tente dar sempre o primeiro passo, nunca negue uma ajuda ao seu alcance, perdoe e dê de você mesmo.

SEJA UMA BENÇÃO!

Deus não vem em pessoa para abençoar.
Ele usa os que estão aqui dispostos a cumprir essa missão.
Todos nós podemos ser anjos.
A eternidade está nas mãos de todos nós.
Viva de maneira que quando você se for, muito de você ainda fique naqueles que tiveram a boa ventura de encontrá-lo!!!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Amar:

Procure me amar quando eu menos merecer, porque é quando eu mais preciso



Falamos à beça de amor. Apesar das nossas singularidades, temos pelo menos esse desejo em comum: queremos amar e ser amados. Amados, de preferência, com o requinte da incondicionalidade. Na celebração das nossas conquistas e na constatação dos nossos fracassos. No apogeu do nosso vigor e no tempo do nosso abatimento. No momento da nossa alegria e no alvorecer da nossa dor. Na prática das nossas virtudes e no embaraço das nossas falhas. Mas não é preciso viver muito para percebermos nos nossos gestos e nos alheios que não é assim que costuma acontecer.


Temos facilidade para amar o outro nos seus tempos de harmonia. Quando realiza. Quando progride. Quando sua vida está organizada e seu coração está contente. Quando não há inabilidade alguma na nossa relação. Quando ele não nos desconcerta. Quando não denuncia a nossa própria limitação. A nossa própria confusão. A nossa própria dor. Fácil amar o outro aparentemente pronto. Aparentemente inteiro. Aparentemente estável. Que quando sofre não faz ruído algum.


Fácil amar aqueles que parecem ter criado, ao longo da vida, um tipo de máscara que lhes permite ter a mesma cara quando o time ganha e quando o cachorro morre. Fácil amar quem não demonstra experimentar aqueles sentimentos que parecem politicamente incorretos nos outros, embora costumem ser justificáveis em nós. Fácil amar quando somos ouvidos mais do que nos permitimos ouvir. Fácil amar aqueles que vivem noites terríveis, mas na manhã seguinte se apresentam sem olheiras, a maquiagem perfeita, a barba atualizada.


É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chope é gelado. Nos cafés, após o cinema, quando se pode filosofar sobre o enredo e as personagens com fluência, um bom cappuccino e pão de queijo quentinho. Nos corredores dos shoppings, quando se divide os novos sonhos de consumo, imediato ou futuro. É fácil amar o outro nas férias de verão, no churrasco de domingo, nos encontros erotizados, nas festas agendadas no calendário do de vez em quando.


Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E se vitimiza. E perde o charme. O prazo. A identidade. E fala o tempo todo do seu drama com a mesma mágoa. Difícil amar quando o outro fica cada vez mais diferente do que habitualmente ele se mostra ou mais parecido com alguém que não aceitamos que ele esteja. Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora. Quando as cortinas se abrem e ele não vê mais ninguém na plateia. Quando até a própria alma parece haver se retirado.


Difícil é amar quando já não encontramos motivos que justifiquem o nosso amor, acostumados que estamos a achar que o amor precisa estar sempre acompanhado de explicação. Difícil amar quando parece existir somente apesar de. Quando a dor do outro é tão intensa que a gente não sabe o que fazer para ajudar. Quando a sombra se revela e a noite se apresenta muito longa. Quando o frio é tão medonho que nem os prazeres mais legítimos oferecem algum calor. Quando ele parece ter desistido principalmente dele próprio.


Difícil é amar quando o outro nos inquieta. Quando os seus medos denunciam os nossos e põem em risco o propósito que muitas vezes alimentamos de não demonstrar fragilidade. Quando a exibição das suas dores expõe, de alguma forma, também as nossas, as conhecidas e as anônimas. Quando o seu pedido de ajuda, verbalizado ou não, exige que a gente saia do nosso egoísmo, do nosso sossego, da nossa rigidez, para caminhar ao seu encontro.


Difícil é amar quando o outro repete o filme incontáveis vezes e a gente não aguenta mais a trilha sonora. Quando se enreda nos vícios da forma mais grosseira e caminha pela vida como uma estrela doída que ignora o próprio brilho. Quando se tranca na própria tristeza com o aparente conforto de quem passa um feriadão à beira-mar. Quando sua autoestima chega a um nível tão lastimável que, com sutileza ou não, afasta as pessoas que acreditam nele. Quando parece que nós também estamos incluídos nesse grupo.


Difícil é amar quem não está se amando. Mas esse talvez seja o tempo em que o outro mais precise se sentir amado. Para entender, basta abrirmos os olhos para dentro e lembrar das fases em que, por mais que quiséssemos, também não conseguíamos nos amar. A empatia pode ser uma grande aliada do amor.






Texto de Ana Jácomo





sexta-feira, 8 de abril de 2011

"CARINHO DE IRMÃS"

 Uma jovem esposa estava sentada num sofá num dia quente e úmido, bebericando chá gelado durante uma visita a sua mãe. Ao conversarem sobre a vida, o casamento, as responsabilidades da vida, as obrigações da pessoa adulta, a mãe remexia pensativamente os cubos de gelo no seu copo e lançou um olhar claro e sóbrio para sua filha.

- Nunca esqueça de suas "Irmãs", aconselhou! Serão mais importantes na medida em que você envelhecer. Independentemente, do quanto você ame seu marido, dos filhos que por ventura venham a ter, você sempre precisará de "Irmãs".

- Lembre-se de, ocasionalmente, ir a lugares com elas; faça coisas com elas; telefone para elas. Lembre-se que 'Irmãs' significa todas as mulheres... suas amigas, filhas e também todas as suas demais parentes. Você precisará de outras mulheres.

Que estranho conselho! Pensou a jovem. Acabo de ingressar no mundo dos casados. Sou adulta. Com certeza meu marido e a família, que iniciaremos, serão tudo que necessito para dar sentido à minha vida!

Contudo, ela obedeceu à mãe. Manteve contato com suas Irmãs e anualmente aumentava o número de amigas. Na medida em que os anos se passavam, ela foi compreendendo que sua mãe sabia do que falava.... Na medida em que o tempo e a natureza realizam suas mudanças e mistérios sobre uma mulher,

'Irmãs' são baluartes de sua vida.50 anos, eis o que aprendi:
- O tempo passa...
- A vida acontece...
- A distância separa...
- As crianças crescem...
- Os empregos vão e vêem...
- O amor fica mais frouxo ou vai embora...
- Os homens não fazem o que deveriam fazer...
- O coração se rompe...
- Os pais morrem...
- As carreiras terminam...

Mas... as 'Irmãs' estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estão entre vocês. Uma amiga nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo em seu favor, e esperando-a de braços abertos.

Todas... amigas, mães, filhas, avós, noras, tias, primas, sobrinhas... abençoando nossa vida!Quando iniciamos esta aventura chamada condição feminina, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante.


Nem sabíamos o quanto precisaríamos umas das outras...






segunda-feira, 4 de abril de 2011

Hieroglifando...

Tem coisas que só vem para atrapalhar a vida, incrivelmente...
Pela manhã no HC foi o dia de atendimento em Nefrologia e eis que me deparo com algumas situação como por exemplo a de decifrar o que está escrito no prontuário do paciente na última consulta:


Dá para entender??? Não néh???? Eu também fiquei com esta mesma sensação sua de tentar adivinhar o que esse médico queria registrar, mas bem, sabe qual a melhor forma que eu descobri o que estava escrito???? Perguntei!!!!! Isso mesmo... conversar com ele, perguntar novamente, abrir um diálogo... então pude perceber o quanto isso é valioso!!!

Foi importante não apenas para esclarecer possíveis informações que poderiam estar alí escritas, mas também abrir espaço para informações novas! O probelma é quando ficamos restritos a nossa velha bagagem e não ficamos abertos para novas vivências... E foi isso que decidi fazer... tanto com o paciente como na minha vida!!!!

Eu sei, que são coisas bem distintas, mas, a grosso modo, pude perceber que não devo ter medo de ir tentar buscar o novo, arriscar, indagar, questionar...

Não fique parado esperando as coisas caírem do céu e ja prontas, vá em busca, se aventure... tenho certeza que o final vai ser enriquecedor!!!!

Sua vida pode até parecer um Hieróglifo egipcio, mas não o suficiente que seja impossivel se ser "traduzido" e respondido. Tudo vai depender da sua coragem e da vontade que tem de mudar!


sexta-feira, 1 de abril de 2011

O medo que paralisa!

Vários sentimentos tentam nos paralizar, um deles é o medo de mudar. Por comodismo achamos melhor ficar do jeito que está. Hoje resolvi fazer diferente, fui em busca da companhia de quem há tempos eu não via... 6 anos!!!!! Foi uma lavagem de corpo e alma, e o medo não conseguiu tomar conta de mim! Ousar é uma ótima palavra para descrever tudo o que aconteceu! O incrivel é saber que mesmo passando tanto tempo pouco mudou!!!!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Ainda não acabou!

Se, por acaso, encontrar por ai, a vagar, um coração mande um recado: tudo já está curado! O tempo, desde antes, ja me falavam, a tudo cura.
Ao deixar o mediastino, em taquicardia, saiu a procurar seu dono, nem encontrou!
Foi ao mar, pediu para as águas uma direção: Estás vendo essa lua enorme? Para lá ele foi...
Coração acelerado, ja sedado pela saudade, embebido pela adrenalina, continua a vagar. A pedir um pouco mais de calma, raciocínio e obediencia vem a gritar do por quê " mundo tão injusto para os justos"...
O tempo foi o seu remédio, coração em bradicardia, agora mais aliviado, pode trabalhar em sintonia sistólica/diastólica, sem fibrilações, nada mais... apenas alguns litros de amor em seu ventriculo ainda correm, vão ao pulmão e se renovam, não suportando a saudade, retornam ao coração, mas o seu caminho é preciso ser continuado, o corpo sentirá falta se o fluxo for interrompido...
Ele tem necessidade de sua presença para continuar a viver, um só corpo para um só coração. Um só coração para um só amor!
Enquanto isso, o coração continua a vagar, se encontrar manda um recado: volte para o seu mediastino, não se canse, ainda há muito a ser percorrido...


domingo, 20 de fevereiro de 2011

1 Koinonia ICTHUS - uma experiência dos bastidores!

                  Tenho buscado me completar em Deus a partir do momento que conheci a Ele, isso faz pouco tempo, mas esse pouco tempo não tem influência na magnitude e na proporção que essas mudanças atingiram a minha vida!
                 A cidade do Recife está em preparação do carnaval, todos os finais de semana tem alguma "festa" ou alguma prévia de carnaval. Cá e acolá sempre tem algum frevo tocando alertando a chegada do carnaval.
Fui percebendo, nesse quase um ano meu de caminhada cristã diária, que amadurecemos e mudamos algumas concepções de o que nos faz feliz e o que nos completa!
A minha confirmação foi me dada ontem, quando houve a concretização de um evento lindo, nossa 1 Koinonia da ICTHUS...
                   Há alguns dias eu, uma amiga minha Anne Rose e nosso líder André começamos a conversar após o culto da PAES sobre dinâmicas e como organizar o evento que seria o primeiro de todos da célula ICTHUS, mal sabia eu que estávamos ali confirmando uma parceria que deu muito certo!!!! Eu e Anne fomos parceiras em tudo até do sono nas madrugadas pela internet ( via reunião virtual) para terminar de organizar as coisas!
                  Descobri que quando trabalhamos em grupo, em união, em divisão de tarefas, tudo sai conforme a vontade de Deus. A sintonia de Deus é perfeita e as "Jesuscidências" vem a confirmar a vontade D'ele.
                Fomos aperfeiçoando nossas ideias iniciais, perguntamos opiniões dos que tinham mais experiência no assunto, trocamos ideias e aceitamos a permissão de Deus de sempre melhorar. Foi um trabalho em conjunto, em grupo, de crescimento mútuo e coerente, por isso o sucesso que foi!!!
               Às 20 hrs do sábado dia 19/02/2011 deu inicio o evento que veio a mostrar a união dos membros de Cristo. Foi um momento de louvor, brincadeiras, oração, aprendizagem e muita, mas muita muita mesma unção de Deus. Nosso amado Pastor Miguel lá de São Paulo, via internet nos deu notícias do seu tratamento, muito emocionante, e difícil quem conseguiu segurar as lágrimas e o coração de tamanha saudade e de Valéria. Todos juntos (por que juntos somos melhores) em busca de um só propósito: ser servo de Deus!

Parabéns a todos que participaram do evento!!!!!!


Entra lá:

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Só você pode impedir a si mesmo de ser feliz




"Pedimo-vos, irmãos: chamai a atenção dos que levam vida desordenada, animai os tímidos, sustentai os fracos, sede pacientes para com todos. Tomai cuidado para que ninguém retribua o mal com o mal, mas procurai sempre o bem entre vós e para com todos. Estai sempre alegres. Orai continuamente. Dai graças, em toda e qualquer situação, porque esta é a vontade de Deus, no Cristo Jesus, a vosso respeito. Não apagueis o Espírito, não desprezeis os dons de profecia, mas examinai tudo e guardai o que for bom. Afastai-vos de toda espécie de mal" (I Tessalonicenses 5, 14-22).

A Palavra de Deus nos pede só o que promove a vida. Quem conhece a verdade sabe que toda a mentira pesa na consciência. A Palavra vem para proteger as nossas emoções e para nos preparar. Muitas vezes, usamos a nossa imaginação para o pecado. Por que não usar a mente para verdade?

Prepare-se e peça a Deus sabedoria para tratar os assuntos difíceis de sua vida a fim de que o Espírito Santo ilumine seus caminhos. Os momentos e as situações podem ser diferentes se os construirmos em oração. Aprenda a usar as suas emoções, pois o Senhor nos ensina a cuidarmos uns dos outros.

Traga as pessoas para o bem, mostrando-lhes o caminho de volta. Porque, mais do que você achar um objeto perdido, essa ação pode salvar uma vida, devolvendo-lhes o caminho da verdadeira alegria, que é Cristo.

Há muitas pessoas que perderam a alegria, e o menor obstáculo as atrapalha. Os obstáculos são um incentivo para aqueles que sabem o caminho. Quem está no problema, nem sempre enxerga a realidade. Seja amigo na vida de alguém, faça-lhe a proposta de caminharem juntos e traga essa pessoa para Deus Pai.

As pessoas perderam a paciência para escutar. Se não entrarmos no coração das pessoas, nossas amizades serão superficiais. O que faz com que uma experiência seja bela é poder compartilhá-la com os outros. Quando as pessoas nos ferem, nossa tendência é nos fecharmos; mas está na hora de voltarmos a amar. O mais importante é nos ajudarmos mutuamente, animando-nos para animar os outros. Precisamos barrar o mal e não ficarmos ressentidos com as situações.

Para ser uma pessoa alegre não é preciso ler um livro de piadas, pois a verdadeira alegria vem do coração, da oração que nos liberta. A vida com Jesus é uma mortificação do que é errado em nossa vida, não a privação da alegria. Você quer ser alegre? Se una a Deus na oração, precisamos ser adestrados para saber o que é bom, pois muitas situações permeiam o nosso caminho. Não murmure nem se entristeça, mas seja de Deus. Só você pode impedir a si mesmo de ser feliz. Para ser feliz, afaste-se de todo o tipo de mal.

O Senhor vem em socorro de nossas necessidades. Para que consigamos rezar continuamente, levemos uma vida no Espírito Santo e que a presença d'Ele possa nos libertar.