segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Vasos de barro.

video
" A palavra do Senhor, que veio  a Jeremias, dizendo: Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras. E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas. Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.
Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel".

O poder de transformação na minha vida, nas minhas escolhas, nas minhas prioridades... tudo vem do Senhor, esse renovar que só pode ser sentido atraves do viver nEle, me tocou de forma inexplicavel neste ultimo final de semana.

Foram dias programados por mim para servir, mas que na realidade quem foi servida fui eu. Servida e renovada no amor de Deus, transformada pelo amor dEle!!!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Ampulheta

"Minha vida pode ser definida como uma ampulheta - quando eu achei que tudo estava se direcionando para o fim, Deus virou minha vida de cabeça para cima e eis que toda uma vida nova se apresentou diante de mim"

Vi esta frase de um amigo, e eis que consegui descrever exatamente os sentimentos da invasão de Deus em minha vida...

É um renovar, é um vestir-se com uma nova roupagem. A vida velha já não mais pertence ao meu corpo, não que eu a tenha esquecido, mas me mostrou em que e onde devo trabalhar para modificar sentimentos que não são dignos de serem nutridos!

...

Não sei... Se a vida é curta ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

domingo, 21 de agosto de 2011

É de doer o coração a sensação de tempo perdido, de entrega sem valor, de envolvimento sem retorno!
Por mais que eu diga que tudo vai ser diferente, eu não consigo...
Quando passo a pensar só em mim, no meu próprio umbigo, as coisas não dão certo, mas porque? Porque eu coloco as minhas prioridades no lugar das prioridades de Deus, coloco o meu eu no lugar do dEle... o resultado??? Acabo trocando os pés pelas mãos!!!
A vida está renovada, o coração está cicatrizado, mas ainda temo não ser coerente com as minhas atitudes. É certo que a boca fala do que está cheio o coração, eis o meu medo, a minha aflição é esse coração manhoso, frouxo, que nem sempre me ouve...
O coração do homem pode lhe desviar, pode fazer com que você acredite que a "aparencia" é uma realidade, quando a essencia, ao fundo, lhe mostra outra coisa... sei que o pior cego é aquele que não quer ver e eu por muito tempo fiquei sem querer ver nada, mas Deus não faz nada por acaso e a busca do descanço nos propósitos dEle é o que tem me acalmado mais, apesar de tudo e de todos...
Dê uma oportunidade, oportunidade e oportunidade... oportunidade... por mais que no momento pareça ilógico, o que precisamos para nos renovar é dar oportunidade para Cristo agir, tem sido dificil, mas não mais do que ja me fizeram passar...
A fase dos questinamentos passou, estou agora aguardando a resposta... o tempo é o dEle!!!!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Indagações!

       "Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades. Para viver a dois, antes, é necessário ser um."

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Pequenos gestos..

Incrivel como uma troca de pneu furado, na realidade 2 trocas em 2 semanas, me fez parar e refletir: tem coisas que por mais que eu queira mudar, trocar, fazer diferente, nem sempre o comando está em minhas mãos. Nas duas tentativas de troca de pneu, tive que buscar ajuda com outra pessoa, digamos, outros homens. Percebi que eu não sabia nem mesmo abrir o macaco para levantar o carro, descobri que eu teria, antes de tudo, liberar um pouco os parafusos da roda para depois então levantar o carro com o macaco... algo que eles fazem tão rápido, eu demoraria muito tempo, isso se eu um dia conseguisse... 
Aprendi que muitas coisas dependem da comunhão, e, se você não compartilhar, estará perdendo uma grande chance de se relacionar mais a fundo com o próximo. Mas como assim, por causa de um pneu???? Pois é...

São nas coisas simples da vida que descobrimos o valor de cada momento. Cada pessoa que me ajudou nesta "simples" tarefa de trocar o pneu, provavelmente encararia a situação como "mais uma", só que eles não tem noção da importancia que foi para mim.

Temos que valorizar a particularidade de cada momento com os olhos da humildade e perceber que a beleza das coisas não está em sua complexidade, mas sim na simplicidade de trazer prazer e alegria a quem está ao seu redor. Não é necessário grandes estripulias, pequenos gestos conquistam momentos que podem se eternizar no coração do outro.

Tão simples como a troca de um pneu para o outro, tão complexo para mim a mesma atitude seria, tudo dependendo do referencial de quem esta falando. Assim é nossa vida, minimizamos os sentimentos e as opiniões do próximo usando apenas o nosso referencial na construção do conhecimento, e poucas vezes, ou nenhuma, nos colocamos no lugar do outro para ver realmente o que aquela situação representa para ela...

Podemos até machucar alguem por não dar importância as coisas "simples" que ela gosta... mas certamente dividiremos momentos felizes se formos capazes de transformar essa simplicidade em algo único e essencialmente marcante!!!!

Surpreenda, principalmente nas "pequenas" coisas...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Quer se relacionar bem? No mínimo…


se não consegue extinguir, pelo menos diminua sua expectativa em relação aos outros. Amar, pressupõe aceitar a pessoa como ela é;
tem algo para resolver, resolva. Não guarde, não espere o outro falar, tome a iniciativa, abra o diálogo. Não espere que o outro perceba ou interprete o que você sente. Procure e fale;
...ouça com atenção, inclusão e silêncio. Inclua o outro através de uma “escutatória” que acolha de fato o que se está dizendo. Quem só sabe falar, não está preparado para se relacionar;
seja pródigo(a) em elogios e econômico(a)em críticas. A legitimidade para criticar vem de uma caminhada de presença e reconhecimento. E ninguém aguenta um crítico de plantão;
aprenda com as dificuldades e defeitos, mas minimize o impacto disso, enquanto forem menores do que as virtudes. E são menores. Não deixe de aprender com sua própria dificuldade e a do outro, mas minimize;
saiba que toda situação é transitória, tanto as boas, quanto as ruins. Sua decisão de como vai passar por ela determinará seu sucesso ou insucesso, independente da circunstância. E a busca pelo “sucesso interior” é sempre a melhor decisão. “Não importa o que a vida fez com você, mas o que você faz com o que a vida fez com você”;
não lamente o passado. Aprenda, mas não faça dele um fantasma que imobiliza e assombra sua relação presente ou o presente de tua relação;
não esconda coisas profundas de pessoas com as quais quer estabelecer relacionamentos profundos. O diabo domina as sombras, mas Jesus é o Senhor da luz. Traga as coisas para a luz, confesse, elucide, conte. Elimine a possibilidade do outro “descobrir” algo sem ser por você mesmo(a);
considere que o futuro do pretérito e o pretérito do subjuntivo não existem e, quando os inserimos em nossas vidas, vivemos lamentado o que “poderia ter sido”. Se poderia, não foi. Se poderia, não pode mais… Afirmações como “se você tivesse”, “se você fizesse” fazem muito mal. “Se” não existe;
emancipe o outro. Que o outro seja uma pessoa melhor por estar com você, do que seria se não se relacionasse contigo. Quer ser uma pessoa melhor, faça do outro um “outro” melhor;
nunca se familiarize com detalhes que, apesar de detalhes, são importantes. Fale sempre: “por favor” e “obrigado”; Bastante: elogios e expressões de carinho; De vez em quando: escreva uma carta pessoal;
seja cordial e educado(a) com todos. Trate gente como gente deve ser tratada. Qual o nome do porteiro do seu prédio, de seu vizinho, do garçom que sempre te atende? Certamente o nome de seu chefe você sabe né?! Pergunte o nome, olhe nos olhos, aperte a mão com firmeza e singeleza.

 FabricioCunha